Sexta, 01 Abril 2022 18:37

Crianças menos criativas: um perigo pra lá de real Destaque

Crianças menos criativas: um perigo pra lá de real Foto por: Stephen Andrews

Ano passado, a BBC publicou essa matéria em seu site que me deixou preocupado. O conteúdo fala sobre como as crianças atuais são menos inteligentes do que os pais e que é a primeira vez que isso aconteceu. 

Confesso que validei isso…

Ouvindo relatos de alguns professores, uma das coisas que ficaram claras foi sobre como as crianças, por conta da alta influência digital, têm se inclinado ao imediatismo e, com isso, perdendo muito do seu senso crítico e criatividade, aceitando o que é mais rápido, ao invés do que pode de fato ser mais interessante em sua mente em amplo desenvolvimento.  

Crianças são pequenos cientistas, deixem que criem!  

Analisando o documentário desenvolvido pela Netflix “The beginning of life”, que super indico, por sinal, uma coisa fascinante de entender é como o cérebro humano está em grande desenvolvimento na infância, onde cada descoberta é uma explosão de sinapses e novas conexões neurais.

 

 Essas rápidas conexões fazem as crianças serem grandes exploradores da vida, descobrindo cada detalhe, cada cor, cada objeto.  

Mas, então, por que a nova geração é menos inteligente que os pais? 

Um dos fatores pode ser o pouco tempo em relações intrafamiliares, que são nada menos do que essenciais para desenvolvimento de habilidades que não estarão nas telas, como inteligência emocional, o estímulo de contato que esses relacionamentos proporcionam e a falta de atividade, ou seja, o alto sedentarismo que as telas estão trazendo às novas gerações.  

Como a escola pode ajudar? 

O primeiro passo é: coloque em seu plano de aula atividades que façam com que as crianças explorem cada vez mais o lado criativo e crítico do cérebro e também atividades que fomentem trocas e contatos com outros alunos, natureza, lama, terra, pintura e por aí vai.  

Nossa ideia, como Dibbi, é que esse plano e o aprendizado dos seus alunos possa enriquecer ainda mais as aulas e naturalmente formar adultos criativos e prósperos no que se envolverem.  

Como o assunto é amplo, em breve traremos a continuação de como a capacidade de criar coisas é altamente importante na educação infantil. Por isso, caso não queira perder esse assunto super relevante, assine nossa newsletter que, em breve, a gente te manda esse conteúdo, beleza?

Ler 47 vezes

 

Somos uma plataforma com ferramentas para gestão do setor pedagógico da sua escola.


 

Links úteis

Institucional