Segunda, 16 Mai 2022 10:58

Estratégias de combate ao bullying nas escolas Destaque

Foto por Caleb Woods Foto por Caleb Woods

As relações estabelecidas dentro da escola, tanto entre os próprios alunos, como no relacionamento aluno e o professor, influenciam diretamente na formação do caráter do indivíduo e do seu desenvolvimento social e psicológico.

 

O limite da brincadeira

Nas relações que ocorrem durante a rotina escolar, é normal o surgimento de brincadeiras criadas pelos próprios alunos como forma de divertimento e descontração. Porém, temos que observar os limites de tais brincadeiras, pois eles determinarão se a brincadeira é saudável ou se resulta em agressões, sejam elas físicas ou morais.

Quando essas brincadeiras são realizadas fora dos limites estabelecidos, transformando-se em atos de violência repetitivos e intencionais, causando sofrimento ao outro aluno, torna-se necessária a intervenção dos educadores de forma adequada para inibir essa prática e iniciar um processo educativo sobre a questão.

 

A pandemia do bullying

É essencial esclarecer e evidenciar que as atitudes tomadas por esses indivíduos contra um ou mais estudantes, sem motivações específicas são consideradas atos de bullying. Esta palavra ainda é pouco conhecida, possui origem inglesa e não possui tradução no Brasil, sendo utilizada para qualificar comportamentos agressivos dentro da escola, praticado por meninos e meninas de maneira frequente e intencional.

O bullying está inserido em muitos espaços escolares, chegando a ser considerado como pandemia. Diante dessa realidade existente no cotidiano escolar de muitas escolas é missão do professor realizar trabalhos de incentivos, elaborar estratégias que identifiquem e minimizem a incidência deste tipo de ação através da observação, da contação de histórias, dramatizações de situações cotidianas, dinâmicas, diálogo com pais e alunos, entre outras situações.

 

Desde o planejamento de aula

Desde o início do ano letivo se faz necessária a aproximação entre os professores e o aluno. Além de ministrar o conteúdo, o professor deve estabelecer vínculos com seus alunos, conquistando a confiança destes e estabelecendo o diálogo como forma de participar mais ativamente do cotidiano escolar.

As estratégias elaboradas pelos professores devem ser incluídas em seu planejamento para serem trabalhadas desde as primeiras etapas de estudo da criança fazendo com que a criança compreenda quais são as regras daquele ambiente escolar e quais as consequências para os seus atos.

Do lado da Dibbi, queremos ajudar a desenvolver alunos mais conscientes dessa pandemia de violência que existe dentro das escolas e por isso incentivamos professores e coordenadores a desenvolverem seus planos de aula também com esse tipo de conteúdo.

E você, o que tem planejado para discutir com seus alunos sobre bullying esse ano? 

Ler 28 vezes

Postagens recentes

 

Somos uma plataforma com ferramentas para gestão do setor pedagógico da sua escola.

Links úteis

Institucional